CLINICA SANTA MONICA

CLINICA SANTA MONICA

domingo, 30 de abril de 2017

PARABÉNS TRABALHADOR. 1° DE MAIO DIA DO TRABALHADOR

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas, close-up e área interna


Feliz é a alma que ao fim de um dia intenso de trabalho, pode retornar sereno para o conforto de seu lar e repousar sua cabeça num travesseiro e descansar, sem ter seu sono assombrado por sua consciência.

PARABÉNS TRABALHADOR.

Jefferson Santos




A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e sapatos

Mensagem do vereador Prof.Silvério à todos os trabalhadores



No espreguiçar do amanhecer , quando a aurora abraça o sol, homens e mulheres acordam para mais um dia de luta. Todos correm para o campo da vida, na diversidade de suas diferenças com a mão no arado, pisam fortes, exultando suas crenças.
Valentes, erguem em seus braços, Bandeiras, ferramentas, no quilate: responsabilidade,
No uso: a função que alenta. Seja caneta, bisturi, enxada, o volante ou mesmo um liberal, não importa os instrumentos, todos trabalham igual. Dignificando o tempo, marcham  ao encontro do promissor, Prosperidade para o amanhã, Recompensa do labor. Abençoado são as mãos do Trabalhador.


Feliz dia do Trabalhador







Fonte: http://www.blogdoferraz.com.br



sexta-feira, 28 de abril de 2017

Ex-faxineira que virou juíza lança livro sobre sua história: 'É possível concretizar os sonhos'

Adriana Marques, de 38 anos, diz que enfrentou vários desafios até chegar à magistratura, entre eles a falta de dinheiro. Com cinco pós-graduações e cursando letras, ela afirma que 'estudo é fundamental'.


Por Sílvio Túlio, G1 GO

Adriana durante a posse como juíza de direito: livro para incentivar outras pessoas (Foto: Arquivo pessoal)
Adriana durante a posse como juíza de direito: livro para incentivar outras pessoas (Foto: Arquivo pessoal)



A juíza de direito Adriana Marques Queiroz, de 38 anos, lança, no sábado (29), o livro "Dez passos para alcançar seus sonhos - A história real da ex-faxineira que se tornou juíza de direito", em Goiânia. Na obra, ela conta sua trajetória desde o seu primeiro trabalho, como faxineira, até chegar à magistratura, na qual atua desde 2011, em Quirinópolis, na região sul de Goiás.
Em entrevista ao G1, a magistrada relata uma infância pobre, passando por desafios que colocaram à prova seus sonhos e por pessoas que a ajudaram até a aprovação no concurso público para juíza. Adriana quer, com o livro, incentivar as outras pessoas a seguirem em busca dos seus sonhos.
"Quando tomei posse, em 2011, muitas pessoas me procuraram pedindo dicas sobre como conseguir o que se almeja. Ali surgiu a vontade de escrever um livro mostrando que não é fácil, mas é possível. Quando me tranquilizei na carreira, comecei a escrever para levar essa mensagem e incentivar as pessoas mostrando que é possível concretizar os sonhos desde que haja empenho", disse.
Adriana é titular da 1ª Vara Cível e da Vara de Infância e da Juventude de Qurinópolis, cidade goiana que entrou na vida dela por acaso. Os pais deixaram a zona rural de Guanambi, no sertão da Bahia, e se mudaram com os seis filhos para Tupã, no interior de São Paulo em busca de melhores condições de vida.
Caçula da família, Adriana percebeu cedo a importância dos estudos. Durante o ensino médio - todo cursado em colégio público - ela começou a alimentar o sonho de fazer direito. Com 18 anos, ela passou no vestibular em uma universidade particular, mas, para tentar pagar os estudos, começou a trabalhar como faxineira.
Aprovação em concurso veio após muito esforço e luta (Foto: Arquivo pessoal)
Aprovação em concurso veio após muito esforço e luta (Foto: Arquivo pessoal)

Entre o esfregão e os estudos

Adriana começou a procurar trabalho e conseguiu uma vaga de faxineira na Santa Casa de Tupã. Porém, o que recebia no emprego era insuficiente para manter os estudos e os pais não tinham condições de ajudar. Com esse desafio, ela pediu uma bolsa ao diretor do curso.
"Fui até faculdade e procurei o diretor do curso de direito. Falei dos meus sonhos e que não poderia deixar passar aquela oportunidade. Vendo o meu empenho, ele me concedeu uma bolsa de 50% nas mensalidades e ainda parcelou a matrícula, o que possibilitou eu fazer o curso", lembra.
Durante o dia, Adriana era responsável pela limpeza do chão e dos banheiros da unidade de saúde. À noite, seguia em busca de seu sonho na universidade. Após seis meses, foi promovida e passou a atuar em um cargo administrativo do hospital, que ocupou até se formar em direito.

Concurso: um novo desafio

Ao se formar, a jovem bacharel começou a lutar para chegar à função de juíza, que começou a apreciar durante a universidade. Decidida, pediu demissão do hospital, pegou o acerto e se mudou sozinha para a capital paulista.
O dinheiro, segundo ela, cobria apenas aluguel por dois meses em um pensionato. O intuito era conseguir um emprego para, além das despesas, pagar um curso preparatório para a carreira jurídica, visando um concurso público. No entanto, não conseguiu trabalho e o dinheiro que tinha começou a acabar.
"Vi meu sonho ruindo, mas busquei ajuda com o diretor do curso e fui atendida. Ele acreditou em mim e me ofereceu um trabalho como auxiliar de biblioteca, além de bolsa integral", lembra.
Um ano depois, findado o curso preparatório, ela seguiu trabalhando no local e estudando por conta própria durante sete anos, inclusive nos finais de semana e feriados. A recompensa, depois de muitas tentativas, foi a aprovação no concurso cujo cargo ocupa até então.

Mais conhecimento

Adriana é a única dos irmãos a se formar em um curso superior. Paralelo aos estudos para os concursos, ela concluiu cinco pós-graduações na área de direito. Mas ela não parou por aí. No ano passado, ela ingressou no curso de letras.

"Eu vi uma oportunidade de continuar ganhando conhecimento. Essa área me permite ampliar o que sei sobre escrita e linguagem, além de gostar muito de literatura. O estudo é fundamental. Vou continuar sempre. Jamais pensei em desistir", destaca.
Adriana mantém contato estreito com sua família, a quem considera "sua base". Ela se casou há dois anos e planeja, futuramente, realizar mais um sonho: ter filhos.

Serviço:

Lançamento e sessão de autógrafos do livro: "Dez passos para alcançar seus sonhos – A história real da ex-faxineira que se tornou juíza de direito"
Local:
 Livraria Saraiva do Shopping Flamboyant, no Jardim Goiás, em Goiânia
Data: 29 de abril (sábado)
Horário: 17h

Família de gerente de banco é feita refém durante tentativa de assalto em Goiás

PM diz que vítimas foram liberadas após negociação; cinco pessoas foram presas

Foto:Reprodução/TV Anhanguera

POR YANA MAIA
O gerente do Banco do Brasil de Itaguaru (GO) e sua família passaram por momentos de tensão nesta quinta-feira, 27, após serem feitos reféns por bandidos que tentaram assaltar a agência do município. Segundo a Polícia Militar (PM) o grupo manteve a família do funcionário em cativeiro e durante a manhã, seguiu até a unidade com a intenção de roubar o local.
A tentativa de assalto ocorreu por volta das 10h, mas foi frustrada após a chegada de equipes da corporação.
Segundo o tenente-coronel Ricardo Mendes, assessor de comunicação da PM, o crime foi descoberto após o vigilante da agência, estranhar a ação do grupo e impedir a entrada do gerente e dos bandidos no local. O funcionário chamou a polícia, que em poucos minutos negociou com os criminosos para que o gerente fosse liberado.
Após a vítima ser libertada, a corporação recebeu uma denúncia anônima informando que a família do funcionário era mantida em cativeiro na zona rural de Uruíta. A esposa do gerente e duas filhas do casal foram resgatadas por um helicóptero e já foram para casa.
Conforme a corporação, a família foi capturada pelos bandidos na noite de ontem, 26, e na manhã de hoje, levaram o gerente até a unidade com o objetivo de roubar dinheiro. No momento da negociação com os policiais, os bandidos pediram que a energia da cidade fosse desligada. Eles conseguiram fugir e uma força tarefa da PM faz os trabalhos de busca pela região.
Mendes ressalta que todas as rotas de fuga foram mapeadas e militares trabalham intensamente para que o grupo seja capturado. Além das prisões, a corporação também visa restabelecer a ordem pública e destaca que a população pode confiar na segurança pública da região. Até o momento, cinco pessoas foram identificadas e presas. Algumas armas possivelmente utilizadas no crime também foram apreendidas.
Ele explica que esse tipo de crime é conhecido como “sapatinho”, onde os bandidos rendem a família do gerente de uma instituição financeira, tiram ela de casa, levam para um cativeiro e em seguida obrigam que o funcionário abra a agência para roubar dinheiro.
Ainda conforme a corporação, a agência ficará interditada aguardando os trabalhos de perícia da Polícia Federal (PF). Não há informações se o grupo conseguiu levar alguma quantia, mas a corporação acredita que nenhum valor foi levado, uma vez que os assaltantes não conseguiram entrar no local.
A assessoria de comunicação do Banco do Brasil ainda não se pronunciou sobre o caso.

domingo, 23 de abril de 2017

De Olho Nas Eleições 2018, Políticos Movimentam Quatro Vias No DF (Confira Aqui O Que Ocorre Nos Bastidores)


Este Blog apurou que  já existem quatro vias políticas em construção no Distrito Federal com vistas às eleições de 2018.


O governador Rodrigo Rollemberg já escolheu seus parceiros que  já estão muito bem agasalhados no governo. São eles: PSB, PV, PDT e REDE. Aqui, o candidato ao GDF é Rollemberg, que disputará a reeleição. Para o Senado: Chico Leite.
Num segundo bloco, existe o grupo liderado pelo delegado aposentado e suplente de deputado federal, Alírio Neto, que preside o PTB-DF. Nesta via estão (mesmo que publicamente declarem não estar juntos): PMDB, PP, PR, DEM e PTB. Aqui, o candidato ao GDF é Alírio. Para o Senado, os campeões de votos,  Fraga e Jofran Frejat, que estão sendo sondados.
Na terceira via, estão conversando: PSD, PPS, PRB, PSC e PSDC – Aqui o candidato ao GDF é Wanderley Tavares (PRB). Para o Senado, as apostas são Rogério Rosso e Cristovam Buarque.
E na quarta via, está o PSDB. Aqui, o candidato ao GDF é Izalci Lucas. Ele conversa com outros partidos e sonha com Fraga para o Senado.
E por último, os partidos que estão conversando com os demais: PODEMOS, SD, PEN, PROS, PTC, PHS, PRP, PTdoB, PCdoB e PT.
Pontos à serem considerados:
  • Como se vê, Rollemberg ficará isolado em 2018. Dificilmente conseguirá passar para o segundo turno das eleições, à exemplo do que ocorreu com Agnelo Queiroz (PT).
  • O senador Helio José (PMDB) é candidato ao Senado, mas como você viu acima, ele ainda não conseguiu se firmar em nenhum grupo que o abrace, mas ainda há tempo. O homem tem trabalhado muito nas ruas e nos bastidores.
  • Tadeu Filippelli, o mandatário do PMDB-DF, diante das citações de seu nome em delações na Lava Jato, caiu em desgraça e dificilmente seguirá adiante com o projeto de tentar uma candidatura ao Buriti. Suas chances acabaram, diante das graves denúncias contra ele e Agnelo.
  • Wanderley Tavares, presidente do PRB no Distrito Federal, sonha se tornar no “Dória do Cerrado”. O grande trunfo dele é o apoio da Universal e o fato de ser irmão do pastor Egmar (Assembleia de Deus do Gama), que nunca venceu disputa para distrital ou federal.
  • Alírio Neto (PTB), presidente da sigla no DF, tem a menor rejeição entre os demais postulantes ao Buriti e não tem o nome envolvido em denúncias ou processos no STF. É ficha limpa.
  • Existe um acordo nacional  entre o PSB e o PSDB que visa as eleições de 2018. Tal fato pode atrapalhar os planos do deputado federal e presidente do PSDB-DF, Izalci Lucas, que está a mil por hora de olho no Palácio do Buriti.
  • Sem votos na esquerda que o elegeu senador por um bom tempo, Cristovam Buarque vive agora angustiado, e procura ser amparado (somente agora) pelos evangélicos. Talvez vire até crente para poder se reeleger. Agora ele se apresenta aos partidos de linha evangélica, como o primeiro voto para o Senado. Segundo avaliações de analistas políticos ouvidos pelo Blog, Cristovam perde a vaga para Fraga ou Frejat nas próximas eleições.
  • Agnelo Queiroz e Geraldo Magela, ambos do PT, estão na Lava Jato e portanto, o desgaste já está feito, porque o eleitor está atento e não quer mais reeleger políticos envolvidos em denúncia de corrupção.
  • Denúncias atingiram em cheio a única representante do SOLIDARIEDADE na Câmara Legislativa do DF. Sandra Faraj (SD), que sonhava se candidatar a deputada federal,  corre o sério risco de ser cassada. O presidente do SD, deputado Augusto Carvalho, também é alvo de processos e está bastante desgastado e tem pouco voto. Até o advogado ligado ao SD, Tiago Cedraz, teve o nome envolvido na Lava Jato, além do deputado Paulinho da Força, presidente nacional do SOLIDARIEDADE.
  • No PPS do senador Cristovam Buarque, existem dois deputados distritais que se tornaram réus por corrupção: Raimundo Ribeiro e Celina Leão.
  • Em tempos de graves denúncias na Lava Jato, PMDB, PT e PP estão em baixa com o eleitor.
  • O empresário Paulo Octávio é o queridinho do setor empresarial para disputar uma vaga de deputado federal. Ele é filiado ao PP.
  • Sem partido, a empresária Eliana Pedrosa deseja voltar à CLDF.
  • Ao menos cinco donos de empresas prestadoras de serviços disputarão a CLDF para se juntarem à Robério Negreiros, Rafael Prudente e Cristiano Araújo.
  • Segundo especialistas, a renovação na Câmara Legislativa será de 80%.
  • Única representante do PT na Câmara dos Deputados, Érika Kokay corre o risco de perder a reeleição.
  • Daniel de Castro, pastor e advogado, está bem cotado para ser vice-governador na chapa de Izalci ou Alírio. Só depende dele.
  • O pastor e deputado federal Ronaldo Fonseca (PROS) sonha se tornar vice-governador ou senador, mas perdeu expressivos apoios nos últimos anos, principalmente no seguimento evangélico.
  • O Apóstolo Fadi Faraj já não pensa mais com tanto entusiasmo  disputar uma vaga ao Senado, após as denúncias que atingiram em cheio sua irmã, Sandra Faraj, que também é pastora na igreja Ministério da Fé.
  • O grupo Resgatar Brasília, que reúne aproximadamente 200 pré-candidatos a deputado distrital, é o sonho de consumo dos principais candidatos ao Buriti. O experiente Zenóbio Rocha é quem conduz o grupo, e tem conversado muito nos últimos meses.
  • O senador Antonio Reguffe (sem partido) quer distância de problemas e tem dito a interlocutores que não será candidato a nenhum cargo em 2018 e dificilmente apoiará alguém. Ele permanecerá senador até 2022. Não tem pressa.
  • Em resumo: o eleitor brasiliense está atento e a renovação na política do DF será ampla, geral e irrestrita.
Não se esqueça, nobre seguidor do blog,  que na política  tudo pode mudar de uma hora para outra. O adversário de ontem poderá ser o companheiro amanhã. As peças no xadrez político brasiliense promete fortes emoções nos próximos meses, com algumas jogadas sensacionais, outras estranhas e  bizarras.



Fonte: Donny Silva

sábado, 22 de abril de 2017

Veja quem é a cientista brasileira eleita pela revista 'Time' para a lista dos '100 mais influentes' de 2017

Veja quem é a cientista brasileira eleita pela revista 'Time' para a lista dos '100 mais influentes' de 2017
Cientista Celina Turchi, médica que teve papel importante nas pesquisas sobre relação entre vírus da zika e microcefalia, aparece na lista de 'Pioneiros'

Por G1 (Foto: Reprodução/TV Globo)


A cientista brasileira Celina Turchi, da Fiocruz Pernambuco, é uma das 100 personalidades mais influentes do mundo de 2017, segundo a tradicional lista publicada anualmente pela revista americana "Time". A médica especialista em doenças infecciosas teve papel importante na descoberta recente da relação entre a microcefalia e o vírus da zika.

Não é a primeira vez que Celina tem seu trabalho reconhecido internacionalmente com uma honraria do tipo: em dezembro, ela apareceu na lista dos 10 cientistas mais importantes de 2016 da revista "Nature". Na lista da revista "Time", a pesquisadora aparece na categoria "Pioneiros".

Para realizar os estudos que colaboraram com a descoberta da relação entre o virus da zika e a microcefalia, a cientista organizou uma força-tarefa de cientistas do mundo todo, entre epidemiologistas, especialistas em doenças infecciosas, pediatras, neurologistas e biólogos especializados em reprodução.

O perfil de Celina na revista "Time" foi escrito pelo cientista Tom Frieden, que foi o diretor dos Centros para Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) até o início de 2017.

"Uma especialista em doenças infecciosas de Recife, no Brasil - que era o epicentro da primeira grande epidemia de microcefalia associada à zika - Turchi trabalhou sem parar, perdendo refeições e tempo de sono para descobrir o que estava acontecendo", diz o texto de Frieden. "Os estudos de Turchi foram parte de uma investigação de emergência que, em última instância, provaram que o vírus da zika de fato causa microcefalia - algo de que muitos céticos duvidavam."

"Turchi é apaixonada, focada e um modelo do tipo de liderança e colaboração global necessárias para proteger a saúde humana", concluiu Frieden sobre a brasileira.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Saiba o que já mudou na reforma da Previdência


Comissão especial adia para maio votação do relatório




Yara Aquino – Repórter da Agência Brasil
Com a leitura, nesta quarta-feira (19), pelo deputado Arthur Maia (PPS-BA), de parte do relatório sobre a proposta de reforma da Previdência na comissão especial da Câmara, os parlamentares definiram o calendário de tramitação da matéria. A previsão é que o parecer de Maia seja votado na comissão no dia 2 de maio.
O presidente da comissão, Carlos Marun (PMDB-MS), fez um acordo com a oposição para que não houvesse obstrução durante a leitura do parecer e se comprometeu a fazer sessões de debate na próxima semana. Segundo Marun, com a votação do relatório no colegiado no próximo dia 2, a previsão é que a leitura no plenário da Câmara ocorra no dia 8 de maio.
Perguntado por jornalistas se considera um retrocesso o adiamento da previsão inicial de ter o relatório votado na comissão na próxima semana, Carlos Marun, respondeu que não. “Não vejo nenhum retrocesso, na verdade, é uma otimização de tempo. Poderíamos estar aí perdendo muito tempo e energia para vencer a obstrução que a oposição certamente faria, todavia, tendo celebrado um acordo, fico feliz com esse resultado”, disse.
Arthur Maia iniciou a leitura do relatório por volta do meio-dia. Com quase uma hora de apresentação, a reunião foi suspensa para que os parlamentares participassem da ordem do dia no plenário da Câmara. A expectativa é que a leitura seja retomada ainda hoje na comissão especial.
No texto, o relator reduz a idade mínima para a aposentadoria das mulheres de 65 anos para 62 anos Outra alteração proposta em relação ao texto inicial enviado pelo Executivo ao Congresso Nacional é reduzir de 60 anos para 55 anos a idade mínima de aposentadoria para policiais policiais federais, rodoviários federais, ferroviários federais, policiais civis e os agentes penitenciários.

Veja algumas mudanças já anunciadas:

Da Agência Brasil*

Policiais
Conforme o parecer, até que entre em vigor lei complementar que trate do regime de aposentadoria dos militares, os policiais federais, rodoviários federais, ferroviários federais, policiais civis e os agentes penitenciários poderão se aposentar aos 55 anos de idade.
Para isso, será necessário comprovar, cumulativamente, 30 anos de contribuição para homem e 25 para mulher e 20 anos de efetivo exercício em cargo de natureza estritamente policial ou de agente penitenciário. A proposta enviada pelo Executivo previa a idade mínima de 60 anos para aposentadoria dos policiais.
Aposentadoria rural
A idade mínima de aposentadoria para trabalhadoras rurais caiu de 60 para 57 anos. Para os homens, será de 60 anos. O tempo de contribuição será de15 anos, e não 20, como apresentado anteriormente. Para os produtores rurais, a contribuição deverá ser feita de forma individual com alíquota calculada sobre o salário mínimo. Atualmente, a contribuição é calculada a partir da produção vendida.
Idade mínima
No Regime Geral de Previdência, os homens poderão se aposentar ao completar 65 anos e as mulheres, ao chegar aos 62 anos. O projeto original previa idade mínima de 65 anos para homens e mulheres.
Regra de transição
O texto preliminar prevê idade mínima progressiva na transição para as novas regras. A idade mínima prevista para as mulheres é 53 anos e vai aumentar um ano a cada dois anos até a trabalhadora chegar aos 62 anos. Para os homens, a idade mínima está prevista em 55 anos, com aumento de um ano a cada dois anos, até alcançar 65 anos.
O pedágio (período que o trabalhador terá que cumprir para alcançar o tempo de contribuição previsto nas regras atuais) foi reduzido de 50% para 30%. Atualmente, o tempo de contribuição é de 35 anos para homens e 30 anos para mulheres.
Tempo de contribuição
Os trabalhadores (homens e mulheres) terão de contribuir por, pelo menos, 25 anos para receber 70% da média dos salários. Na proposta original, o percentual estipulado era 51%. Para receber 100% da aposentadoria a quem tem direito, o trabalhador terá de contribuir por 40 anos, e não 49 anos como previsto na proposta original.
Pensão
Ficou mantida a possibilidade de acúmulo de pensão e aposentadoria, mas com um teto de dois salários mínimos.
Benefício de Prestação Continuada
No caso do Benefício de Prestação Continuada (BPC), o relator manteve a vinculação com o salário mínimo. Porém, a idade mínima subiu para 65 anos até chegar a 68 anos. Na proposta original, a idade sugerida era 70 anos.
*Com informações da Agência Câmara

Acusado de prostituição infantil pode ficar inelegível por oito anos


  

Réu condenado em segunda instância por envolvimento com prostituição infantil poderá ficar impedido de assumir qualquer cargo público. É o que está previsto no projeto de lei (PLS 209/2008) aprovado pelo Plenário do Senado por 68 votos a favor e apenas um contrário, nesta quarta-feira (19). A matéria ainda será analisada pela Câmara dos Deputados.
A proposta, do senador Cristovam Buarque (PPS-DF), altera a Lei de Inelegibilidade (Lei Complementar 64/1990) para determinar que a pessoa não pode assumir qualquer cargo público se estiver respondendo judicialmente a imputações de envolvimento direto ou indireto com o crime de prostituição infantil.
Pelo texto original, a inelegibilidade teria início já com o oferecimento da denúncia pelo Ministério Público e o recebimento pelo Poder Judiciário, o que ocorre quando a autoridade judicial constata a presença dos elementos mínimos necessários para a instauração da instrução criminal. O prazo de inelegibilidade é de oito anos após o cumprimento da pena.
Na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), o projeto foi relatado pelo senador Magno Malta (PR-ES). Em Plenário, ele acatou sugestão do líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), e apresentou subemenda para estabelecer que a inelegibilidade só ocorra após condenação do agente público por colegiado de segunda instância, na forma da Lei da Ficha Limpa.
— Essa matéria é preventiva, na questão da proteção da infância, ao impedir a eleição de um indivíduo que deliberadamente abusa de uma criança. Nesse projeto ganha o Brasil, ganham as famílias, ganhamos todos nós —afirmou Magno Malta.
Agência Senado 

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Caixa 2 é crime Justiça deve cassar o prefeito de Goianésia, se levar em conta investigação exaustiva do MP

Ministério Público constata que Renato de Castro cometeu abuso do poder econômico e fraude. 250 mil reais, repassados pelo vice, não aparecem nas contas de sua campanha



Renato de Castro e Fião de Castro: pai e filho administram Goianésia | Foto: Reprodução Facebook

O fenômeno Iris Rezende (PMDB), prefeito de Goiânia, e Iris Araújo, primeira-ministra, se repete em Goianésia. Nesta cidade, há o prefeito, Renato Menezes de Castro (PMDB), e o primeiro-ministro ou prefeito-adjunto, Manoel de Castro Arantes, mais conhecido como Fião. Fião comandava desde a campanha, mas Renato, pressionado pelos aliados, avisara que, se eleito, o pai seria mantido a distância. “Era tudo mentirinha” (o “faz-tudo” é secretário), afirma um líder local. Pois Fião, o onipresente, pode ser responsável por uma possível cassação do filho.
Renato de Castro e Carlos Veículos durante a campanha eleitoral | Foto: Facebook do vice-prefeito
Segundo denúncia investigada pelo Ministério Público, o empresário Carlos “Veículos” Gomes, quando candidato a vice-prefeito de Renato, repassou para Fião, o caixa da campanha majoritária do PMDB, 250 mil reais — com três notas promissórias devidamente assinadas. Ocorre que, como apurou o Ministério Público Eleitoral, o dinheiro não apareceu na prestação de contas junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) — o que configura crime eleitoral. Trata-se, no mínimo, de caixa 2. A defesa de Carlos Veículos sugere que a decisão de usar 2 foi de Fião, o “prefeito-adjunto”. Ele aparentemente não sabia que o dinheiro não seria contabilizado legalmente.
A exaustiva investigação do Ministério Público — comprovando que houve prática de abuso do poder econômico e fraude por caixa 2 nas eleições de 2016 em Goianésia, na campanha do PMDB, daí a Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (AIME) — pode levar à cassação do mandato do prefeito Renato. A sentença da Justiça deve sair nos próximos dias e, como o peemedebismo não conseguiu apresentar uma defesa consistente, há uma aposta generalizada, sobretudo entre advogados eleitorais, de que Renato será cassado. A cassação não deve implicar em afastamento imediato, porque o prefeito poderá recorrer. Porém, como sua defesa é considerada frágil e falha, a cassação, em segunda instância, é tida como inescapável.

Frise-se que todas as audiências foram concluídas, com a documentação e a defesa devidamente apresentadas. Comenta-se, entre peemedebistas, que o próprio Renato estaria altamente pessimista em relação à sentença. A decisão está nas mãos do juiz André Reis Lacerda, tido como rigoroso, competente e absolutamente isento.

Fonte: Jornal Opção

MANOBRA CÂMARA TENTA VOTAR URGÊNCIA PARA ACELERAR TRAMITAÇÃO DA REFORMA TRABALHISTA


ENTRE AS MEDIDAS PREVISTAS ESTÁ A VALIDAÇÃO DOS ACORDOS COLETIVOS

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Hildo do Candango atende reivindicação de servidores públicos e concede Auxílio Refeição

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado


Desde que foi eleito em 2013, o prefeito de Águas Lindas de Goiás, Hildo do Candango se mostrou um gestor preocupado com os servidores municipais, e ano após ano ele tem melhorado as condições de trabalho e assim valorizado os profissionais que ajudam a construir a cidade de Águas Lindas.
Após inúmeras reuniões, chegou ao fim na noite desta quarta-feira (12) a negociação onde Hildo concedeu o Auxílio Refeição a todos os servidores efetivos do Município, uma reivindicação antiga da categoria. O auxílio que representa um aumento de 5% a 7% no salário, dependendo da categoria.
O prefeito Hildo do Candango afirmou que esta era uma de suas metas desde a primeira gestão, porém foi necessário muito estudo de impacto na folha de pagamento para que pudesse ser implantado.
“Nosso objetivo sempre foi ter um diálogo sincero com o Sindicato e os servidores, e sempre fiz questão de dizer o que estava ao nosso alcance, e graças a Deus conseguimos chegar a um acordo que beneficie todas as categorias. Nossa gestão é pautada na ética e na transparência, e lutaremos sempre para levar a melhor decisão para os nossos servidores”, concluiu Hildo.

Novo Gama a Brasília terá nova empresa de transporte coletivo


Prefeita Sônia Chaves



A Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) atendeu ao pedido da Prefeitura Municipal de Novo Gama e viabilizou um novo chamamento para que outras empresas possam fazer a linha interestadual rumo a Brasília (DF).
O trecho deverá ser operado pela empresa Taguatur sob o regime de autorização especial até o fim do processo licitatório. Essa é mais uma vitória da população novogamense, por intermédio do Executivo que está proporcionando a reconstrução prometida durante a última campanha eleitoral, alcançando todos os setores do município.
A abertura do chamamento público ocorreu na última segunda-feira (27) e autoriza uma empresa a prestar serviços de transporte regular interestadual semiurbano de passageiros no trecho. Durante o período, uma empresa prestará o serviço em caráter emergencial por meio de autorização especial até o fim do processo licitatório. O órgão responsável pelo projeto é a ANTT.